Páginas

13 de novembro de 2008

Livro Xokleng em PDF

Em homenagem ao Professor Sílvio, disponibilizo uma versão do livro Xokleng em PDF. A obra é protegida por direitos autorais e está esgotada.


http://issuu.com/riodasfurnas/docs/xokleng

6 comentários:

max disse...

Compnheiro Renato,
Permita-me 'palpitar'nesse espaço sobre o brilhante e destacado catarinense Silvio Coelho dos Santos.
Tenho um particular interesse pelas questões referentes aos indios de Santa Catarina, tão sofridos e massacrados desde que aqui os "brancos" chegaram.
Peço licença ainda para colar neste espaço trecho do livro, que recomendo a leitura, "Indios e Brancos no Sul do Brasil - a dramática experiência dos Xokleng":
"Veja Silvio, o branco diz pro indio se civilizá. Mas como chegá a isto se o índio nao tem direito a nada; se o índio nao é nada; não pode fazê nada em sua terra. Assim é melhó o índio se documenta, deixá de ser índio. Eu não entendo, a terra é do índio, mas o índio nao pode fazê nada com ela(...)" (palavras do índio Xokleng Vechá Priprá, em entrevista concedida ao Professor Silvio Coelho em 1970.)
É. E as coisas não mudaram muito...
Abraços
Max E. Figueiredo

Renato Rizzaro disse...

Caro Max,
Obrigado pelo comentário e sinta-se a vontade, o espaço é livre, e que seja cada vez mais!

Lembro de um comentário do Prof Silvio sobre o arrependimento de alguns "pacificadores" que deveriam ter deixado os índios como estavam, e penso nos tão recentes primeiros (e derradeiros) contatos feitos na década de setenta, próximo Morro dos Cavalos.
Depois, penso na tristeza dos olhares dos "vendedores" em que muitos desses índios se transformaram com suas falsas artesanias e a invasão das seitas "estrangeiras" em Ibirama, por exemplo, proibindo que eles continuassem seus ritos e danças e festas e até o uso da lingua-mater.
Arrancaram a alma dessa gente!

Heloisa disse...

nossa me lembro como se fosse ontem vc fazendo esse livro, quando ainda morava no campeche!! =)

Lu disse...

Muito obrigada por compartilhar.
Abçs

Renato Rizzaro disse...

Já entrei pro teu mundo, bacana!
Abraços

Mauro Demarchi disse...

A história é fascinante e repleta de matizes. Tenho, paulatinamente, feito incursões neste assunto. Recentemente publiquei um artigo sobre o assunto: http://jornalaw.com.br/2016/07/01/historia-dinossauros-indios-e-imigrantes/ Descobri recentemente que os índios da etnia que denominamos xokleng preferem outra denominação: laklaño. Nome que tem sido utilizado em conjunto com xokleng.