Páginas

2 de novembro de 2008

Rio do Sul

Quem me desvendou os segredos de Rio do Sul foi o Jorge Krieger. Trilheiro de primeira, conhece todos os cantos: dowhills que já fez de bike, rappeleiro incansável, incentivador do rafting de Ibirama, e apoiador, de quebra, do Tschumistok. Ultimamente, anda pulando de para-quedas, o advogado, além de tudo. Na frente da cachoeira Jacomine, na foto, reverenciamos um índio-velho.
O que sobrou dos Três "Pico" já era pouco quando fiz esta foto, no final dos anos noventa. Primeiro, carregaram quase toda a areia - areia quartzo com baixo teor de óxido de ferro - para fabricação de cristais. Depois de algum tempo voltamos para matar a saudade do visual, que ainda era maravihoso, e tivemos uma experiência estarrecedora, pois, além de não conseguirmos achar o caminho de chegada a esta caverna da foto, todo o seu entorno estava absolutamente destruído e substituído por uma gigantesca plantação de pinus. Outro índio-velho ainda permanece na caverna?

Um comentário:

Elaine disse...

Estou aqui na sala dos professores de uma universidade na zona leste de São Paulo...mas de verdade, acabei de voltar do "Rio do Sul". Senti a água geladinha no meu pé...e fiquei feliz!
bjs, Elaine