Páginas

29 de junho de 2010

Desbragado piquenique


O comentário do Clóvis Borges/SPVS que republiquei no site da Capital das Nascentes tem tudo a ver com a música Tristes Trópicos do saudoso Itamar Assumpção. Sem alma como indignar-se?

O trópico tropica

Emaranhado no trambique

A treta frutifica
E tritura todo o pique

A trapaça trina e troa

E extrapola cada dique

O tratado é intrincado

Destratado é truque chique

O grito atravancado

Tranca até que eu petrifique

Tristes gregos e troianos

Desbragado piquenique


Clique aqui e leia o comentário

Clique aqui e baixe a música Tristes Trópicos

27 de junho de 2010

Canoa da Costa da Lagoa

Domingo de sol no Itacorubi, o Tracubi da Dona Dirma, mulher do Seu Dóca. E vai o tempo em que visitamos esse casal de olheiros dos Ingleses. De olho na Tainha, mas essa é uma outra história que vou contar noutra publicação. Hoje é com a Tainha da Costa, Dona Rosalina Frutuoso, seus vinte filhos, as canoas do Rancho da Praia Seca, o sobrado da Loquinha.

Sobrado da Dona Loquinha, tombado e abandonado pelo Patrimônio Público

Pra lá da metade da trilha da Costa da Lagoa aparece o sobrado da Loquinha. Erguido por escravos no Século 18, abandonado por escravos da burocracia, bem que poderia estar bem cuidado, mas não está porque fica escondido dos mais afoitos. É uma trilha que faz as mais sensíveis almas bufarem diante de escorregadas nas pedras, charcos, barro, riachos e nascentes que teimam em minar pelo caminho. Em hora e meia chega-se lá, tranquilo.

Um barco fora dágua espera pela reciclagem na sombra do Garapuvu

O Restaurante Bela Ilha, da Dona Dalva e do Nilson, serve tainha da boa com pirão e pode dar um susto em quem pretende chegar até ali de barco. Explico: o Nilson, um dos 20 filhos da Dona Rosalina Frutuoso, tem um barco. Vai e vem da Lagoa até o Restaurante e oferece, assim, sem mais nem menos, para quem pretende ir até o Restaurante, a viagem de graça. Isso, de graça! Tem quem duvide, desconfie e agradeça e tem quem vê mais gente indo, aproveita e segue junto. Depois de conhecer o casal, fica amigo e volta sempre.


Seu Nilson: de graça o povo desconfia. Vou ter que cobrar!

Mais a frente tem o Seu Dico, no Rancho de Canoas. Logo vai falando: Esse Rancho é meu e de mais 19 irmãos. Todo mundo mora na Costa, 10 filhos homens e 10 mulheres, mais os primos, tios, tias, sobrinhos, filhos e netos. Todo mundo ali, frutuosos. Seu Dico veleja há mais de trinta anos e mostra, com orgulho e com razão, a primeira canoa de um pau só, Nossa Senhora Aparecida, padroeira faceira. Uma canoa como nunca vi antes! Belíssima, portentosa, pintada de seis em seis anos, já fez do Dico campeão em várias regatas. É de parar a conversa, todo mundo quer é só falar da Nossa Senhora, porque ela é uma canoa perfeita, feita e acarinhada pelo Seu Dico. Os 3 filhos também velejam e o mais novo, de 11 anos já ganhou fama de velejador, como o pai.

Rancho dos Vinte Frutuosos, na Praia Seca

Seu Dico gosta de receber as pessoas. No ligeiro falar ilhéu, conta a sua história. Ele pode, com autorização, pegar algum Garapuvu que incomode os telhados dos moradores e transformar em canoa. O último foi há 6 anos. O maior de todos apareceu há muito tempo, deu uma canoa de um metro de largura!

O Garapuvu cobriu o famoso Café-de-sombra da Lagoa, nos idos séculos invasores

Logo, Seu Dico participará de uma regata no Ribeirão da Ilha, e levará um segredo, que mostra a todo mundo. É uma sacola da Cormoran com quatro ou cinco velas, de todos os tamanhos. Aí, o pessoal fala: olha lá o louco, velejando com este vento! É, lá vai o Dico, sentindo que é lá que está a vida, para onde vai Nossa Senhora.

Embarcados com o Nilson, a nostalgia da paisagem para quem olha à popa

Quiseramos encontar a Dona Adelaide, benzedeira, entrevistada no inicio do Século 21. Foi-se há um ano... menos. Agora, o filho ocupa a sua casinha, uma das últimas da Costa. Foi de lá que cruzei para o Ratones de bicicleta, numa outra história.

O vento nordeste enche a Lagoa de velas e levanta a proa de quem chega

Vamos voltar. Quem não volta?! Ào Seu Doca, Nilson, Dona Dalva, Dona Dirma & Seu Dóca, Dona Rosalina e os Vinte Frutuosos e tantos e tantos, que nos faz pensar no espaço finito das imagens, quadros e recortes inesperados que a vida dá para temperar o ânimo.

A fogueira das derivas

Se queres entrar na barca da Costa:
Dalva e Nilson/Restaurante Bela Ilha: Costa da Lagoa - Ponto 13 - (48) 3335 3125 - cdl_hugo@hotmail.com
Seu Dico: (48) 3335 3124 - 9641 0962 (se vc tiver sorte, pode encomendar uma canoa)


Na curva da baleia, as dunas da Lagoa