Páginas

26 de novembro de 2010

Zero Waste International passeia na Reserva

Sabatini, Pal e Richard

É possível viver sem lixo? Tudo o que é descartado no dia a dia é obrigado a parar no saco, na vala, no aterro?
É óbvio que ninguém precisa de lixeiros na porta, basta eliminar o mal na origem, ou seja, na sua casa. Como? Ora, lixo só existe quando misturamos tudo. Separado, o material pode ser reutilizado, reaproveitado, reciclado. Na Reserva Rio das Furnas sempre foi assim.
 

Rodrigo Sabatini, presidente do Instituto Lixo Zero inspirou-se em modelos como o nosso para fundar a Novociclo, empresa baseada na capacidade de resolver questões de descarte, coleta, destinação e reaproveitamento daquilo que muita gente ainda insiste em transformar em problema, porcaria, ou seja, criar o pernicioso e sempre desnecessário pacote de lixo.
Para exemplificar e debater essa questão, que já ganhou status prioritário em grandes cidades mundo afora, a Novociclo bancou a 7ª Zero ­Waste International Conference, evento anual, realizado mês passado no Sesc Cacupé, na Ilha de Santa Catarina. Com certeza o mundo esteve atento ao Brasil durante alguns dias.
 

O tema lixo ainda é deixado meio de lado para a sociedade, acostumada a embrulhar os dejetos num saco plástico e fechar os olhos para o seu destino. Então, os aterros explodem por ineficiência e incapacidade de resolver a questão e surge a Logística Reversa como tábua de salvação. Demorou...
 

Após a Conferência, Sabatini trouxe Richard Anthony, presidente da Zero Waste International e Pal Martensson, coordenador de um dos maiores e mais organizados centros de reciclagem da Europa (Suécia), para refrescarem as ideias na Reserva. Ambiente pra cá, lixo pra lá, tudo invariavelmente conectado, o papo se esticou e um banho de rio zerou nossa conversa.
Zerar no sentido de afirmar um rumo, mirar um futuro interativo, onde muitos compartilham da ideia de acabar com o saco plástico, ícone e sepultura de boas ideias.
 

Tenho certeza de que esta Conferência foi uma injeção de ânimo na veia de um bocado de gente e nosso encontro na Reserva, alento.

17 de novembro de 2010

A fine work of art and information

I very much loved the poster. It is a fine work of art and information. I’ve already read the entire booklet on avifauna.  You have a fine talent at photography and graphics design.  Keep up the good work.  
What I loved through your poster and booklet was (again) the realization of the richness of our biodiversity and the extreme value that each species affords us on the planet.  
Years ago I was asked by then Vice President Al Gore to valuate the biodiversity in Central America.  After months of research and worry, I decided that each species on earth is at least as valuable as mays – Madis or corn (Zea mays).  At that time the economic value of mays was $10 billion per year.  So, giving the 2 million species on earth, the annual value of the biodiversity on earth is $20 quadrillion US dollars per year.  Of course there are more than 2 million species…..Obviously the value of the biodiversity has to be significantly greater than the world human economy, since it is the biodiversity that really supports our life system, so as usual, I was too conservative. 
Hope all remains well with you and Gabriela.

Warm regards,

Wayne T. Williams, PhD
Recycling Coordinator
San Diego County

Birdwatcher recebe Cartaz das Aves

A Revista Birdwatcher tem como objetivo agregar informações ao público interessado na observação e fotografia de aves. É um ponto central de informações e pretende com isso trazer novidades sobre o mundo da ornitologia, dicas de viagens, métodos de observação de aves, equipamentos, fotografia, notícias e muito mais.
Agregando informações das mais diversas fontes de informações e com colaboradores experts nos assuntos pretendemos unir a comunidade interessada e prover informação com qualidade e objetividade.

Todos artigos e matérias da Birdwatcher tem como objetivo difundir a observação de aves no Brasil além de compactuar com ações conservacionistas. Somos radicalmente contra a criação de aves em cativeiro e expomos nosso repúdio ao tráfico de animais silvestres contemplando-os na natureza, em seus habitates naturais.
Pratique observação de aves, seus olhos e ouvidos nunca mais serão os mesmos!